Buscar
  • Paula Oliveira

Entrevista com Natan Di França


Natan Di França é um artista negro do Acre. Di perpassa por diferentes formatos de arte (pintura, literatura, fotografia e música). Sua paixão pelas artes veio desde a infância difícil, marcada pela perda de seu pai preto aos quatro anos de idade, Di encontrou refúgio na arte como único meio de resistência. Aos 21 anos lançou seu primeiro e-book intitulado Cloridrato de Paroxetina, livro de poemas descartados de sua obra principal Pondera com previsão de lançamento para 2022. No mesmo ano, Di lançou seu álbum instrumental “hipxxter” disponível no Souncloud na íntegra. Natan afirma que os principais artistas que o inspiram são Basquiat e Samuel de Saboia. Me identifico esteticamente, artisticamente e conceitualmente.

Sobre seu trabalho como modelo, Natan conta:

Nesse ano um desejo antigo começou a queimar em meu coração. Sempre tive vontade de ser modelo e comecei a iniciar meu preparo. Ainda estou começando, é o início de tudo. Contudo, estou extremamente empenhado em crescer e me dedicar a carreira.

Natan também está com um projeto no mundo da moda para além do trabalho de modelo, a Seabirds Gang, a pedido de nossa equipe ele conta um pouco de como surgiu a ideia:

Seabirds Gang surgiu juntamente com a vontade de modelar. A marca é uma pareceria com minha melhor amiga, nós queremos produzir uma moda original, artística e jovem: que seja a nossa a cara. A primeira coleção será disponibilizada em janeiro do próximo ano.

O artista também fala um pouco mais sobre o início dos projetos mencionados por ele em sua apresentação nesta entrevista:

O ebook que lancei foi um compilado de poemas descartados de outra obra, senti necessidade de compartilhar eles com o mundo e a ideia do ebook parecia perfeita. O projeto hipxxter é antigo. Eu tenho um blog hipxxter.tumblr.com e posto esporadicamente poemas, textos e fotos nele. “Hipxxter” é uma persona artística, da qual trabalhei nos últimos anos. O álbum veio para encerrar esta Era e consolidar um novo recomeço artístico.

Pedimos que Natan fale sobre a relação que existe entre suas vivências e os trabalhos por ele produzidos e executados


Minha vivência racializada é parte essencial para o meu trabalho. Um corpo negro no mundo sempre terá um peso diferente. Minha arte já foi aprofundada em ansiedade e angústia advindas do racismo. Sempre canalizei tudo o que sentia em versos e desenhos. Era a única coisa que sentia que podia ser feita.

Sobre as melhores e piores partes de ser artista no Acre, Natan comenta:

No Acre a Arte é resistência. Existem vários artistas pretos com trabalhos incríveis e é fantástico trocar experiências e admiração com estes. De fato, o que nos impede de crescer aqui é a falta de oportunidades e visibilidade. Iniciei uma coluna recentemente pelo jornal Contilnet intitulada Arte & Cultura e venho buscado apresentar estes nomes artísticos para a sociedade acreana. Meus pretos assim como eu precisam de visibilidade e serem fortalecidos.

Já sobre o cenário cultural de seu estado, ele diz:

Ainda existem poucas iniciativas aqui no estado. Contudo, recentemente venci o primeiro concurso de poesias do estado com o poema “Gênesis - Zima Black”. O concurso foi uma proposta da Academia Juvenil Acreana de Letras (AJAL) em pareceria com a primeira-dama do estado. Levei o prêmio de primeiro lugar e me senti realizado, no entanto, ainda existem muitas barreiras para serem vencidas. Existem muitos outros artistas que precisam de visibilidade, patrocínio e oportunidade.

É sabida a diferença de tratamento entre artistas racializados e brancos no cenário artístico nacional, então pedimos que o artista fale um pouco sobre diferença no tratamento do artista preto no cenário artístico de sua cidade.

Os artistas mais reconhecidos no estado são brancos. Seja na música ou em outros formatos de Arte. São os que recebem mais atenção nas redes sociais e nas bolhas privilegiadas. Ser artista preto é ser resistência e entender que preciso trabalhar duas vezes mais para conquistar espaços que outros corpos não-racializados.

Para finalizar, como de prache, pedimos que Natan nos fale um pouco sobre seus planos para o futuro:

No momento quero focar na Moda. Pretendo iniciar as vendas das camisas pela @seabirdsgang e juntar dinheiro para me mudar de estado. Busco algum lugar que possa me render oportunidades, seja como modelo ou artista.


Acompanhe o trabalho de Natan pelos seguintes links:


https://instagram.com/difrvncv


https://www.amazon.com.br/cloridrato-paroxetina-Fran%C3%A7a-ebook/dp/B086R5KZQ5


https://soundcloud.app.goo.gl/xQ3gDyrhUR6x8mUi9





70 visualizações
 

Formulário de Inscrição

(92) 98420-6790

Manaus - Amazonas

  • Instagram
  • Twitter
  • Facebook

©2020 por Blackout Norte.