Buscar
  • Maria Moura

Entrevista com Harris Alves


Questionado sobre quem é Harris, Harrison Alves afirma que é um “músico, compositor, letrista, fotógrafo e cozinheiro”. Com inspirações em Buddy Guy, Jorge Vercillo, George Benson, Eric Gales, Erick Clapton, Jimmy Hendrix, Daron Malakian, O Teatro Mágico, Djavan, Max Viana, Prince, Michael Jackson, Serj Tankian na música, além de Sebastião Salgado e Gall Opido na fotografia, sua motivação para tantas vertentes das artes se dá por Harris sempre se sentir em constante evolução.


Para ele, a arte o proporciona a visualização de novos desafios a serem alcançados. “Existe um universo inteiro de coisas novas que posso gostar, aprender, estudar e evoluir. Meu último flerte foi com a hipnose e espero poder desbravar mais vertentes da arte pois não consigo me manter parado”.

Com seu multiconhecimento em artes, Harris vê o seu lado fotógrafo também influenciando seu lado músico e vice-versa. Afirmando que todas as pessoas vivem num constante processo de aprendizagem e mutabilidade, Harrison não vê como uma vertente não pode influenciar a outra, já que seus processos se mesclam a partir da visão do artista em seus projetos.


“A visão que emprego na fotografia levo para a música em forma de melodia ou em forma de letra. E pra fotografia a mesma coisa. O que me rege é a arte independente da forma que ela se apresenta. E me entrego por inteiro para ela” – afirma Harris.


Ao pedirmos indicação sobre seus trabalhos para que outras pessoas também tenham a chance de conhecer, Harris indicou duas músicas da sua banda autoral o História de Todos Nós, no qual é baixista, compositor e letrista. As músicas Velha Brincadeira e Outrora tem composição de Harrison Alves e Aldenor Honorato (guitarra). Além das músicas, Harris também indicou seu Instagram para que as pessoas possam conhecer seu projeto de nu abstrato o Corpo Cru.

Conversamos também com Harris sobre as melhores e piores partes de ser um artista em Manaus. Para ele a pior parte fica na localização da cidade. “Estamos literalmente em uma ilha e tudo pra sair ou pra entrar é caro. E literalmente todo lugar quer te explorar se você não for experto”. Já as melhores partes ficam a cargo da cultura da cidade. “A melhor parte é a rica cultura que temos o MPA, o Beiradão. O calor do público. A carência do Manauara por uma arte de qualidade faz com que o público seja fiel e isso não tem preço”.


Harrison também falou sobre a cena cultural da cidade na música e na fotografia e destacou que ainda são duas áreas carentes na cidade. Enquanto na fotografia é cada um por si, segundo ele, na música ainda falta um espirito coletivo entre os músicos de crescimento e união. “Fazendo parte de uma banda de Covers a The Lost Six isso fica mais claro para mim. A cena Manauara tem potencial. Mas isso é pra daqui a uns anos” – finaliza.


Ao ser questionado sobre como é ser um artista preto em Manaus, Harris diz que sempre há um desequilíbrio nos meios midiático no tratamento e na arte não seria diferente. “Não podemos apenas contar com mérito, mas sim com um esforço constante para manter nosso local de expressão”. Outro destaque durante a entrevista foi se Harris sentia alguma diferença no tratamento de artistas pretos para artistas brancos na cidade.


“Na fotografia sem dúvida. É onde existe um abismo enorme se você for negro. Sou fotógrafo a 8 anos e todo dia tento aprimorar meus conhecimentos e lapidar minhas técnicas. Mas posso garantir que se um branco, classe média ou classe média alta compra uma câmera e no dia seguinte começar a postar sobre seus ensaios, ele fará 80% de trabalhos a mais que eu. Vocês que estiverem lendo essa entrevista eu faço uma pergunta para vocês... vocês conhecem algum fotógrafo negro que vive apenas de fotografia? Essa é a resposta de como é ser fotógrafo negro em Manaus”.


Sobre seus planos para o futuro, Harris elencou seus maiores desejos. “No futuro planejo lançar um CD completo, com as músicas do História De Todos Nós, continuar na noite com a The Lost Six, dar continuidade ao projeto Corpo Cru e fazer a reabertura da minha hamburgueria a C-137 Burger.

Siga e apoie: Harris Alves

Instagram: https://www.instagram.com/harrisalves/

História De Todos Nós: https://www.instagram.com/bandahdtn/

Youtube História De Todos Nós: https://www.youtube.com/channel/UCaDTsZppDJRonggb403JoSQ

The Lost Six: https://www.instagram.com/thelostsixoficial/

Youtube The Lost Six: https://www.youtube.com/channel/UCR_EvUnftlHrK_Fbj5zx7Ng

Duo'Stripes: https://www.instagram.com/duostripes/

39 visualizações
 

Formulário de Inscrição

(92) 98420-6790

Manaus - Amazonas

  • Instagram
  • Twitter
  • Facebook

©2020 por Blackout Norte.